Notícias de Turismo de Mergulho Sustentável

Mudanças na População de Peixes de Curaçao ao longo do século XX

População de peixes de Curaçao

As mudanças na população de peixes de Curaçao ao longo do século XX é um estudo recentemente publicado que procurou comparar os registros históricos de captura de peixes de Curaçao entre os anos de 1905 e 2016. Este estudo destaca as mudanças tanto no tamanho das capturas quanto na composição das espécies. A compreensão das mudanças nas populações de peixes ajudará os pesquisadores a compreender melhor a saúde geral do ecossistema e ajudará a orientar os esforços de conservação para o futuro.

As mudanças ao longo do século XX

O Mar do Caribe de hoje parece muito diferente do que era há 100 anos. Os primeiros exploradores europeus notaram frequentemente a abundância de vida marinha, como peixes-boi, grandes tubarões e tartarugas marinhas, dentro destas águas (Cook, 1784).

Na ilha de Curaçao, a pesca tem sido uma parte importante da cultura das ilhas desde 2500 a.C. (Van Buurt, 2009). A partir de 1824, os colonos holandeses começaram a utilizar estas águas para a pesca comercial, marcando a primeira vez que a pesca foi utilizada para gerar renda (Teenstra, 1837).

O primeiro panorama científico da indústria pesqueira de Curaçao foi concluído pela Boeke em 1905 e depois novamente em 1908 pela Breeman (Boeke, 1907; Zaneveld, 1962).

Populações de peixes em Curaçao - Mudanças no século 20 | Mergulhar Curaçao

Estes estudos foram então repetidos em 1955, e já os pescadores percebiam uma mudança dramática na disponibilidade de certos peixes. Espécies comuns como garoupas Nassau, cavalas reais e marlins azuis tinham se tornado cada vez mais raras (Zaneveld, 1962).

Décadas de expansão humana, sobrepesca e diminuição da qualidade da água levaram a uma continuação desta mudança dentro de ambientes próximos à costa, à medida que grandes peixes predadores se tornam cada vez mais raros ou todos juntos ausentes (McClenachan et al., 2010).

O Estudo da População de Peixes

Um estudo colaborativo de 2019 entre CARMABI, Universidade de Amsterdã, Departamento de Agricultura e Pesca, Ministério da Saúde, Meio Ambiente e Natureza, Wageningen Marine Research, e pesquisadores independentes trabalhou para comparar as mudanças nas capturas de pescado por pescadores comerciais ao longo do século 20. Quatro áreas diferentes foram comparadas: peixes capturados pela linha, armadilhas e arpões, juntamente com peixes não visados pelos pescadores.

Tendências gerais da população de peixes

Em geral, no último século houve uma mudança da pesca focada em recifes próximos à costa para a pesca pelágica em águas mais profundas. A mudança na tecnologia e nas práticas levou a uma mudança nas espécies de peixes visados. Embora as comparações diretas ao longo do tempo possam ser difíceis devido à grande variedade de mudanças, em média, o CFM permaneceu o mesmo entre 1905 e 2016, no entanto, a composição das espécies e o tamanho das capturas individuais variaram.

Desaparecimento Completo de Algumas Espécies

Também é importante observar que, embora o CFM tenha permanecido praticamente o mesmo, esta é apenas uma medida por indivíduo, em geral, a captura anual estimada diminuiu de quase 2000 toneladas métricas para 1000 toneladas métricas ao longo do século. Este estudo também destacou algumas tendências alarmantes, tais como o desaparecimento completo de algumas espécies e a dramática diminuição dos níveis populacionais de outras.

Usar o tamanho total das capturas baseado no peso pode ser um método perigoso para analisar a saúde do estoque de peixes local, pois uma mudança entre as populações pode mascarar os resultados da pesca excessiva de espécies específicas. De fato, dados os avanços tecnológicos nos últimos 50 anos, seria de se esperar um aumento no total de capturas de peixes, no entanto, não foi este o caso. Isto indica que o desaparecimento total de grandes peixes predadores até meados do século 19 já teve grandes conseqüências para todo o ecossistema do recife.

Declínio das populações de coral

Também é importante notar que certas espécies, não visadas pelos pescadores, também viram uma diminuição notável das populações durante a última metade do século. Isto é particularmente verdadeiro para os peixes que dependem dos corais, indicando a importante conexão entre o declínio das populações de corais ao redor da ilha com a saúde geral do ecossistema (Waitt Institute, 2017; De Bakker et al., 2016).

Outras formas de degradação do habitat, como a perda de ervas marinhas e mangues, contribuem ainda mais para a perda geral da diversidade e da população de peixes ao redor da ilha, uma vez que estes são importantes viveiros e locais de alimentação para muitas espécies de peixes (Debrot et al., 2008).

Restauração Ilegal de Corais em Curaçao | Dive News Curaçao
Proteja o que amamos - NÃO existe PLANO B!

Destaques do estudo

Este estudo destaca as complexidades envolvidas no estudo de ecossistemas inteiros e demonstra a importância do monitoramento e dos esforços de conservação em todos os níveis.

Comparar os valores históricos das capturas de peixe, apesar de perspicaz, não é suficiente para compreender plenamente as mudanças que ocorrem nos ambientes próximos à costa.

A compreensão das complexas relações entre as espécies de peixes e seus ambientes é necessária para a criação de um plano de conservação mais abrangente no futuro.

Baixar o relatório completo aqui

Para mais informações, visite o Aliança Holandesa da Natureza do Caribe ou o Estação de Pesquisa Carmabi

Vídeos e fotos, produzidos e editados para Mergulho Curaçau por Filmes Nature Pics.

Viagem de mergulho Curaçau

Viagem de Mergulho Curaçao | Pacotes de Férias de Mergulho de Curaçao
1% da Dive Travel Curaçao A receita líquida anual da Dive Travel Curaçao é doada à Coral Restoration Curaçao para que eles possam reinvesti-la na restauração dos corais para o futuro de Curaçao
Primeira cúpula bem sucedida em pessoa para a Coalizão Caribenha de Tubarões
Curaçao Dive News Notícias de Turismo de Mergulho Sustentável
Primeira cúpula bem sucedida em pessoa para a Coalizão Caribenha de Tubarões
Coalizão Caribenha de Tubarões sedia o primeiro Workshop do Grande Caribe
Curaçao Dive News Notícias de Turismo de Mergulho Sustentável
Coalizão Caribenha de Tubarões sedia o primeiro Workshop do Grande Caribe
Parque Marinho de Curaçao - MPA Nacional administrado pela Fundação Carmabi
Curaçao Dive News Notícias de Turismo de Mergulho Sustentável
Parque Marinho de Curaçao

Imagem protegida por direitos autorais